Coluna Bernadete Alves - dia 17/08/2016

Robson Conceição é o primeiro campeão olímpico do boxe brasileiro

Robson Conceição

O pugilista Robson Conceição conquistou medalha de ouro  para o Brasil e ainda garantiu o maior feito para o boxe brasileiro em uma olimpíada ao vencer por unanimidade o francês Sofiane Oumiha. O brasileiro já havia garantido a disputa final ao derrotar o cubano Jorge Álvarez, por decisão unânime dos juízes. Esta é a sua terceira consecutiva olimpíada, mas é a primeira vez que conquista uma medalha consagra-se campeão olímpico.

Brasil ouro boxe Robson boxe ouro

O campeão brasileiro é baiano e tem 27 anos.  Começou a treinar boxe aos 13 anos por influência da avó que não queria mais vê-lo brigar nas ruas de Salvador. E deu certo. Foi apanhando nas ruas que ele aprendeu a bater. Junto com os treinos ele trabalhou como feirante e ajudante de pedreiro. Antes de se tornar o primeiro campeão olímpico do boxe brasileiro ele conquistou um ouro nos Jogos Sul-Americanos de Santiago em 2014 e um vice-campeonato no peso até 60 kg no Mundial de Almaty, em 2013. No mesmo ano ganhou bronze na mesma categoria em Doha. Ganhou, também, uma medalha de prata nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara em 2011 e um ouro nos Jogos Mundiais Militares do Rio em 2011. Seu principal objetivo profissional era uma medalha olímpica e por isso se preparou para a Rio 2016. O baiano já foi o melhor boxeador do mundo pela Associação Internacional de Boxe – AIBA.

Ouro boxe Robson

Robson é terceiro-sargento da Marinha do Brasil. Ele ingressou pelo Programa de Atletas de Alto Rendimento das Forças Armadas em 2011. A vida de Robson deu uma guinada quando a namorada Erika passou a fazer parte da seleção brasileira. Os dois se casaram em 2011. Érika foi a primeira brasileira a subir em um ringue olímpico, na Londres 2012.

Após a luta Robson agradeceu o apoio da Força e bateu continência no final do Hino Nacional quando estava no lugar mais alto do pódio. "Eu tive uma infância humilde, tinha que acordar cedo, ir para a escola e ajudar minha vó na feira. Hoje eu fui recompensado", afirmou o pugilista logo após a luta no Riocentro. E como foi. Valeu Campeão!

 

Gilmar Mendes critica Lei da Ficha Limpa

O ministro do STF, Gilmar Mendes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral, declarou hoje que a Lei da Ficha Limpa parece ter sido “feita por bêbados”. A frase foi dita durante sessão da Corte que analisa decisão sobre contas rejeitadas de prefeitos que são candidatos às eleições. A Lei da Ficha Limpa entrou em vigor em 2010 e determina que as pessoas que tiverem as contas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas rejeitadas por irregularidade insanável ficam inelegíveis por oito anos a partir da decisão. A norma também impede a candidatura de condenados pela segunda instância da Justiça.

O presidente do TSE fez o comentário quando os ministros discutiam o alcance de decisão proferida na semana passada pelo STF e as diferenças técnicas entre contas de governo e de campanha. A Corte decidiu que candidatos a prefeito que tiveram contas rejeitadas apenas pelos tribunais de Contas estaduais podem concorrer ao pleito de outubro. “Sem querer ofender ninguém, mas já ofendendo, parece que [a Lei da Ficha Limpa] foi feita por bêbados. É uma lei mal feita, nós sabemos disso. No caso específico, ninguém sabe se são contas de gestão ou contas de governo. No fundo, é rejeição de contas. E é uma lei tão casuística, queria pegar quem tivesse renunciado”, disse o presidente do Tribunal Superior Eleitoral.

O Supremo decidiu, na semana passada, que candidatos a prefeito que tiveram contas rejeitadas apenas pelos tribunais de Contas estaduais podem concorrer  às eleições de outubro e que os candidatos só podem ser barrados pela Lei da Ficha Limpa se tiverem as contas reprovadas pelas câmaras municipais. 

 

Liliane Roriz denuncia esquema de propina liderado por Celina Leão 

A deputada distrital Liliane Roriz, do PTB/DF, renuncia à vice-presidência da Câmara Legislativa e entrega ao Ministério Público do Distrito Federal e Territórios gravações que fez da presidente da Casa, deputada Celina Leão. De acordo com entrevista concedida ao DFTV, a deputada diz  que gravou colegas porque “haveria um suposto esquema de desvio de recursos instalado na saúde envolvendo integrantes do Legislativo local”e por isso pediu para o Ministério Público apurar os fatos. 

A partir do material entregue pela deputada Liliane Roriz,  o Ministério Público do Distrito Federal iniciou uma investigarão sobre pagamento de propina a empresas que prestaram serviços na Secretaria de Saúde. Os áudios gravados pela deputada Liliane foram publicados pelo Jornal O Globo. Entre os alvos da investigação aberta pelo MPDFT está a atual presidente da Câmara, Celina Leão, do PPS/DF e Valério Neves que era  secretário-geral e ordenador das despesas da Câmara na época das gravações e que foi  preso na Operação Lava Jato ao lado do ex-senador Gim Argello , do PTB-DF.

De acordo com a reportagem publicada pelo Jornal O Globo, a deputada Liliane teria começado a gravar os colegas no fim de 2015, quando surgiu divergências do que fazer com uma sobra orçamentária no valor de R$ 31 milhões. A principio seria destinada ao governo de Brasília para reformar escolas públicas, mas na última hora o texto do projeto de lei foi modificado para destinar R$ 30 milhões para pagamento de serviços feitos em UTIs da rede pública. 

Segundo a reportagem do O Globo,Liliane resolveu gravar a conversa antes de questionar a presidente da CLDF sobre a mudança da destinação dos recursos. No áudio, é possível ouvir Celina falando que o “projeto” seria para um “cara” que ajudaria os deputados. A presidente da Casa disse ainda que Liliane não ficaria de fora: “Você (Liliane) tá no projeto, entendeu? Você tá no projeto. Já mandei o Valério falar com você.”

Além de Celina Leão e Valério Neves outros distritais, como o bispo Renato Andrade , do PR,  Júlio César, do PRB e Cristiano Araújo, do PSD, também são citados nos áudios.  Segundo é possível ouvir nas gravações publicadas pelo O Globo,  os dois teriam tentado fazer uma negociação com Afonso Assad, presidente da Associação Brasiliense de Construtores. De acordo com o que Valério Neves diz em um dos áudios, o empresário poderia intermediar contratos com a Secretaria de Educação. Mas Assad não teria levado a cabo o “compromisso”. “O Afonso disse que não poderia garantir nada”, diz Valério Neves em um dos trechos. Com a negativa do empresário de participar do tal “compromisso”, segundo explica Valério nos áudios, o deputado Cristiano Araújo (PSD) teria conseguido o “negócio” das UTIs. Ao dizer o quanto os “hospitais iam retornar”, Valério sussurra que seria “em torno de 7%”, revelou O Globo. E diz ainda que todos os integrantes da Mesa Diretora tinham conhecimento do acordo. 

O Ministério Público, por meio de nota, confirma a instauração de procedimento investigativo.

“O MPDFT confirma que instaurou procedimento investigativo na área criminal para analisar o conteúdo dos áudios entregues à instituição pela deputada Liliane Roriz. O procedimento foi aberto pela vice-procuradoria-geral de Justiça, que tem atribuição para investigar atos relacionados a autoridades com foro privilegiado.Esse procedimento foi instaurado no dia 12 de agosto, logo após o recebimento dos áudios pela assessoria criminal do MPDFT. Para melhor apuração dos fatos, foi decretado o sigilo das investigações. Outros procedimentos de investigação, que já estavam em curso nas Promotorias de Justiça para apurar fatos relacionados aos envolvidos sem foro privilegiado, seguirão seu curso normal.”

Os áudios gravados pela vice-presidente da CLDF em conversa com a presidente da Casa Celina Leão, causaram um “terremoto” nas estruturas do poder Legislativo local. Depois da revelação na imprensa nacional e local o clima esquentou na Câmara Legislativa do Distrito Federal e pelo visto estas “tempestades políticas” estão só começando.  A pergunta é: como vai ficar a CPI da Saúde? Agora é aguardar o próximo capítulo de chocantes condutas políticas de quem deveria defender o coletivo. 

 
RocketTheme Joomla Templates